O Nosso Portugal

Lugares e Curiosidades

Estrelas Em Contos

Opiniões de Contos

eBooks

Leitura Digital

Crónicas de Uma Desastrada

Sou uma Desgraça de Metro e Meio

Autores do Brasil

Divulgação e Opinião

segunda-feira, abril 02, 2018

Sem Saída de Taylor Adams

Sem Saída 
Topseller 
17,69€  
304 pp.
 
Uma forte tempestade de neve.
Darby Thorne é uma estudante universitária que se encontra a viajar de carro no meio das Montanhas Rochosas, desesperada para ir ter com a mãe ao hospital. Quando é atingida por um forte nevão, Darby é obrigada a permanecer numa área de repouso junto à estrada.
Quatro estranhos e uma criança raptada.
Darby percebe que terá de pernoitar ali, juntamente com quatro estranhos. Até que descobre uma menina numa jaula dentro de um dos carros estacionados em frente à área de repouso. Quem é aquela criança? Porque se encontra presa? E qual dos quatro estranhos será o raptor?
Sem saber em quem confiar, o que fazer?
Não há rede de telemóvel, as linhas telefónicas não funcionam e não há por onde fugir, pois as estradas encontram-se cortadas devido à tempestade de neve. Em quem poderá Darby confiar e como irá ela salvar a criança?


Com um passado profissional na indústria cinematográfica, Taylor Adams confere aos seus livros uma envolvência caraterística de filmes de ação.
Em Sem Saída, a protagonista tenta salvar uma criança presa numa carrinha, aparentemente vítima de rapto. Uma história com twists inesperados e um final imprevisível, cujos direitos para a adaptação ao cinema foram já adquiridos pela 20th Century Fox.

 «Um dos thrillers mais tensos e envolventes que alguma vez lerá.» — Fantastic Fiction


Taylor Adams é um escritor de thrillers bestsellers norte-americano.
Licenciou-se na Eastern Washington University, onde ganhou o Edmund G. Yarwood Award, e vive atualmente naquela cidade. Trabalhou vários anos na indústria televisiva e cinematográfica e, em 2008, realizou a curta--metragem And I Feel Fine.
Taylor Adams tem três romances publicados. A Topseller orgulha-se de dar a conhecer este autor aos leitores portugueses com o livro Sem Saída, cujos direitos para filme já foram comprados pela 20th Century Fox.

A Verdade segundo Ginny Moon de Benjamin Ludwig

 A Verdade segundo Ginny Moon  
Topseller 
17,69€ 
320 pp.

Eu tenho medo pela minha Bonequinha. Ela é pequenina e não consegue alimentar-se sozinha. A mãe Gloria passa-se da cabeça. Porque é que ninguém acredita quando digo que a Bonequinha está sozinha e que tenho de a ajudar? Nem mesmo os meus novos Pais Para Sempre, que vivem na Casa Azul, acreditam em mim…
Ginny tem autismo. Nem sempre entende o que ouve. Nem sempre tem a capacidade para distinguir o que é real. Mas sabe que foi retirada à mãe, e que esta era violenta e consumia drogas; e sabe, também, que precisa de voltar para junto da sua Bonequinha. Esta obsessão e o seu comportamento errático e agressivo levaram a que duas adoções fossem anuladas.
Poderá Ginny ter razão? Às vezes, o seu novo pai adotivo fica com a sensação de que a Bonequinha poderá ser algo mais.
Mas, como já explicou a Ginny inúmeras vezes, não existe qualquer registo de outra criança na sua antiga casa. Porque não conseguirá Ginny ultrapassar esta questão?



«Benjamin Ludwig tem uma forma singular de filtrar as tensões domésticas através do olhar hiperalerta, ainda que enviesado, de uma criança com necessidades especiais.» — The New York Times Book Review
«Esta história é uma poderosa afirmação da fragilidade e força das famílias.» Publisher’s Weekly
«Capaz de nos aquecer e partir o coração ao mesmo tempo, a procura de Ginny por um lugar seguro leva-a a encontrar a sua própria voz.» Kirkus Reviews

Enternecedor e repleto de momentos inesperados, este romance, baseado na experiência do autor, apresenta-nos Ginny Moon, uma adolescente autista, que na sua jornada até um novo lar descobre o verdadeiro significado da palavra família.
A partir de hoje nas livrarias, precisamente no Dia Mundial da Consciencialização do Autismo.

Sobre Benjamin Ludwig:
Benjamin Ludwig é um escritor americano, que vive com a sua família no New Hampshire.
Antes de escrever A Verdade segundo Ginny Moon, o seu primeiro romance, que foi distinguido pela Barnes & Noble e pela Amazon como um dos livros do ano de 2017, já tinha sido premiado com o Prémio Clay Reynolds pela sua novela Sourdough.
Antes de se dedicar à escrita a tempo inteiro, dava aulas de inglês.

Nós os Ursos [BOOKSMILE]

Se julgas que sabes tudo sobre Ursos? Estás muito enganado! Nós, osUrsos: Ursos Fantásticos em Tudo é o resultado de um trabalho minucioso que a Chloe fez para a universidade. Um trabalho sobre ursos, vejam só. Devia ser rigoroso e tal, mas nós, os Ursos, descobrimos imensos erros. Por isso, vamos repor a verdade! Vais aprender tudo sobre nós: desde as nossas habilidades no jiu-jitsu, até às nossas mentes brilhantes. Diverte-te a lê-lo!


 Com Nós, os Ursos: Manual de Sobrevivência vais poder acompanhar os ursos e os seus amigos nas suas loucas aventuras! Leva-o contigo para todo o lado? São montes  de atividades para testares os teus conhecimentos sobre o Pardo, o Panda e o Polar.








As aventuras dos Ursos mais conhecidos do Cartoon Network estão agora em livro! Com ilustrações em todas as páginas, um dos títulos revela-nos a história dos três irmãos e o outro está cheio de atividades divertidas que os mais novos vão adorar fazer!

O Pardo, o Panda e o Polar podem parecer um trio improvável, mas a sua amizade supera tudo. O Pardo é o mais velho dos três, e sem dúvida o mais bem-disposto. O Panda é um entusiasta das redes sociais, embora seja muito tímido. O Polar é o mais novo e o mais forte, mas muito sossegado. Acompanha estes três ursos tãããão divertidos!



domingo, março 18, 2018

O Crohn e Eu - Um quase diário de uma doente de Crohn

Boa noite Estrelinhas,

É, a cada dia que passa, mais assustador ter a noção da quantidade de pessoas com DII [Doença Inflamatória do Intestino]. Houve uma altura que fazia parte de um grupo do facebook, que tinha a ver com o Crohn, mas que o movimento era tal como um morto numa serenata, e mesmo quando colocávamos alguma questão, era mais fácil ouvir a resposta da voz do Além, do que as pessoas resplenderem. 

Contudo, à pouco tempo, sensivelmente desde que soube que estou grávida, que faço parte de um grupo. E tive conhecimento dele através uma jovem que estava num grupo de mamãs / grávidas.

Este grupo é dinâmico, a malta sempre prestável e não é aquele género de grupo que te condena apesar e que tenta ser melhor que os outros. 

Não, nada disso, este grupo do facebook com o nome de Doença de Crohn/ Colite - Portugal, tem malta que compreende-te que passa pelo mesmo que tu, ou já passou e mesmo que não tenha ideia do que estás a passar, não está ali para te julgar e criticar. 

Por essa razão e claro, se és Doente de Crohn ou Colite, ou se tens um filho menor com esta doença, junta-te a nós, tira as tuas duvidas, conta os teus receios, quase de certeza que irás encontrar alguém que passou por algo semelhante e que irá entender-te sem julgamento.

Entrevistas, reportagens, petições, piadas com boa animação é o que irás encontrar 😉

O Crohn e eu... Odeio-te Lactose 


Está um pouco desactualizado, mas esta é mais uma coisa que está em agenda para melhorar. E quem sabe com uma ajuda do grupo e alguns testemunhos quem sabe  se não conseguirei melhorar?

Agora vamos lá ler um pouco mais, trata-se de um livro que estou a escrever aos poucos, para quem me segue o facebook e até mesmo por aqui já deve ter visto a menção dele  noutra publicação.

Trata-se de O Crohn e Eu - Um Quase diário de uma doente de Crohn, estou a esforçar-me para que não seja uma leitura deprimente e confesso escrever um livro sobre um assunto tão serio com um toque de humor não é fácil. E o pior é ver tanta gente ansiosa por o ler e eu cada vez mais ansiosa e nervosa com medo de falhar.

Mas vamos então ao pequeno excerto de hoje que uma vez divulgado no grupo, terá também o seu tempo de antena aqui hehe

Adoro-te tanto quanto te odeio.
Já lá vão 5 anos... e se a memória a cada dia mais precária, não me falha agora, foi a algures a 17 de Janeiro de 2013. 
Tu não sabes Crohn, ou talvez até saibas... eu chorei, aliás ainda hoje choro, sozinha porque não suporto os olhares de pena ou aqueles olhares de desprezo, aquela acusação simples de para quê tudo isso, há doenças mais graves que a tua... bem sei que há.. mas eu não batalho todos os dias contra as "outras" doenças mais graves, eu batalho contigo Crohn... sim, contigo, não contra ti.
Já vi que lutar contra ti é perda de tempo, é dor, sofrimento e vejamos bem, não sou masoquista... bem... talvez seja... porque existem velhos vícios que não largo. Mas não é isso que importa agora, é? Voltando aquela data, aquela mencionada mais a cima, oh querido Crohn, tu foste muito mauzinho sabias? Passamos o natal na farra, eu nem sou de beber, mas caramba aquela garrafinha de Lambrusco estava um mimo, já para não falar do queijo da serra sobre as mini tostas, ou os sonhos e suspiros. Exagerei? Sim, eu sei que sim, mas não me condenes, andavas tão calminho, tão adormecido que eu esqueci-me de ti. Por vários meses, quiça anos, senti-me com alguém saudável, tal como quando eu tinha os meus 15/16 anos.
Oh mas tu és um marato, querido Crohn. Oh se és. Como é que foste capaz de me fazer tal coisa? És bem demoníaco, mas adoro-te, não deste sinal e como sempre fizeste, vieste sorrateiro e silencioso. Ainda me lembro de chegar ao hospital, pronta para mais um dia de infleximab, sorrisos e conversas animadas, tudo ok. Nada fora do normal...ou assim parecia.
Conversa para cá e para lá, era uma galhofa pura dentro daquela enfermaria, ainda me recordo de alguns doentes olharem-me de lado e fazerem ma cara. Sabes que houve doentes que disseram que era impossivel eu ter Crohn? E lembras-te da resposta do Dr. J? Ele disse "ela vence a batalha dela com sorrisos, não se deixem enganar, porque esta menina engana e bem." Sabes querido Crohn, nós somos um só, só a gente os dois sabemos como superamos os nossos dias, só nós sabemos os nossos passinhos, dores e lagrimas derramadas...bem... nós e os nossos Drs. Eles já nos viram...bem..viram a mim, quando chorei e supliquei para morrer porque nada resultava, olha que já na altura a veia dramática corria com força.
Mas vamos lá voltar de novo para trás... nós bem que tentamos fazer o tratamento, não foi? Mas assim que fizemos a preparação e iniciamos aquele menino simpático que te controla... tu revoltaste-te. Cruzes... nunca me irei esquecer... a dor, a falta de ar, a minha barriga parecia que ia explodir, toda eu tremia por todo o lado, o meu sorriso ainda se manteve, apesar de aflita, ele ficou, mergulhado no meio das lágrimas.
"Nádia, o que sentes?" Lembraste de a Dra. D perguntar? E o que fiz eu? Abria e fechava a boca qual peixe fora de agua. "Desliguem tudo, precisamos..... " Acabou... não me recordo do que ela disse, embora tenha andado pelo meu pé...mas.. o meu cérebro apagou....
Querido Crohn, porque é que os médicos usam palavras caras? Eu amo a minha equipa médica, ama cada um dos meus médicos, mas odeio de morte quando começam a usar palavreado grego comigo. Só sei que tive ordem de ir a casa, fazer a mala e voltar para ser internada e foi o que fiz.... Ah querido Crohn, nós não gostamos do tratamento... dieta Zero.... oh pura tortura e agonia!
Era exames...corre para aqui e para ali, o Dr. J não ficou muito feliz.... e quando ele disse que teria de ser operada.... Eu enchi o peito de ar, fiz-me de corajosa, juro que sim, tentei ser forte... mas virei Maria Madalena e criei um diluvio de lágrimas. Era eu de um lado e ele do outro.
Dia da cirurgia.... eu até soltava uns palavrões... mas isso ficaria feio, mas podes imaginar os quantos soltei e que envergonharia um marinheiro.
"Então princesa, que lágrimas são essas?"
E se eu não acordar? Eu tenho um filho, quero vê-lo crescer, por favor, não me deixem morrer ali.

Porque é que temos por habito dizer estas coisas? E porque é que os olhos da enfermeira, que não me conhecia de lado nenhum brilharam? Ela virou a cara, apertou o meu ombro e depois disse numa voz estranha... " Fica descansada princesa, vai correr tudo bem, isso será algo fácil e rápido, quando deres por isso já passou."
Fiquei ali, naquele corredor mais um pouco, até que fui levada para dentro, protestei, o Dr. J disse que estaria lá, ele prometeu-me que estaria e não me deixaria sozinha.... O anestesista... penso que fosse, fez-me perguntas sobre o meu menino. Oh eu falei dele, do sorriso e traquinices.... mas... tudo ficou negro.
Deveria ter ficado negro por mais tempo! Céus!! Dói, dói como o inferno.... porque raio é que dói? Ela veio lenta, suave.... mas cruzes! Eu tentei levar as mãos a minha barriga, as minhas entranhas estavam a ser arrancadas! Vozes... alguém falava...
"Dr. eu acho que a paciente acordou."
"Acordou nada!"
"Dr. há alguma coisa que não está bem, estou a dizer-lhe a paciente acordou!"
"É impossível ela ter acordado!"

Estou acordada, olhem para mim estou acordada!!!! Estou a ouvir vocês! bem...eu tentei...mas a minha voz não saia, apesar da dor na garganta que estava a ter, acho que do esforço.
"Nádia.. - é a voz da senhora... auxiliar ou enfermeira, não sei dizer - Estás acordada querida?"
Sim! SIM! DÓI! Porque é que não consigo abrir os olhos? Os meus braços estão presos no quê?
Apitos...apitos... o que raio é que está apitar tanto?
"Dr. a paciente está acordada!"
"Valha-me Deus... Administrem já ......"
Acordei numa enfermaria querido Crohn, caramba tive um sonho bué marado sabias? Oi espera...
"Dr. J?" Eu pensei que a minha voz não tinha saído, mas saiu porque ele respondeu.
"Estou aqui, tal como te prometi, portaste-te bem guerreira, agora descansa"




sábado, março 17, 2018

O Dragão com Coração de Chocolate de Stephanie Burgis

O Dragão com Coração de Chocolate, de Stephanie Burgis, é um livro doce e ternurento, que vai encantar leitores de todas as idades. Uma história que mostra como é importante descobrirmos a nossa paixão e nunca desistirmos dela e como podemos todos viver em harmonia, respeitando todos os seres que nos rodeiam.


E se um dragão fosse transformado num humano? Aventurina é uma jovem dragão de espírito indomável. Apesar de estar proibida de sair da gruta onde mora com a família, decide fugir. Ansiosa por mostrar aquilo de que é capaz, ela captura a presa mais perigosa de todas: um humano. Mas este humano é um mago poderoso e convence-a a provar um chocolate quente encantado que transforma Aventurina numa jovem humana de 12 anos. Apesar do espanto, ela percebe que encontrou a sua verdadeira paixão: o CHOCOLATE. 

Aventurina não perde tempo e segue em direção à cidade. Ela quer aprender mais sobre a sua nova paixão. Mas Aventurina vai perceber que o mundo dos humanos é bem diferente do dos dragões. Saber distinguir os bons dos maus será a primeira de muitas aprendizagens. A segunda será confiar neles...





«Uma história magnífica para ser lida com uma chávena de chocolate quente ao lado.» — Kirkus Reviews
«Uma aventura incrível, repleta de fantasia!» —  Booklist
«O espírito rebelde da Aventurina apaixona-nos desde a primeira página, e todas as personagens criam um mundo de fantasia que queremos habitar.» — School Library Journal




Stephanie Burgis é autora de diversos livros infantojuvenis e de alguns romances dirigidos ao público adulto. Na sua produção literária, conta ainda com mais de quarenta contos escritos e publicados em revistas e jornais. Cresceu no Michigan, nos Estados Unidos, mas vive no País de Gales com o marido e os dois filhos, num ambiente mágico rodeado de montanhas, castelos e cafés. 






Maria Lua de Harriet Muncaster

Em É tão Bom Acampar!  A Maria Lua e a sua família decidem ir acampar! Não há nada como acordar ao ar livre, fazer uma fogueira e brincar entre as árvores. É maravilhoso estar perto da natureza! O problema é quando o pente preferido do pai desaparece e outras coisas muito estranhas começam a acontecer. Bom, mas podes ter a certeza de que, com a Maria Lua por perto, tudo o que acontece é especial!



 Em Uma Bailarina Especial, a Maria Lua vai assistir a um espetáculo de ballet e está muito entusiasmada! Mas, mesmo antes de o espetáculo começar, o Coelhinho Rosa desaparece. Oh, não! O que terá acontecido? O espetáculo não pode começar sem o seu amiguinho, mas será a Maria Lua capaz de o encontrar?







A Maria Lua, criada por Harriet Muncasteré uma personagem muito caricata, meio fada por causa da mãe, meio vampira por causa do pai. Anda sempre com o seu amigo especial: o coelhinho cor de rosa que ganhou vida através da magia. Depois dos primeiros títulos: A Escola Vai Começar e Um Aniversário Mágico (Booksmile, 2017) chegam mais duas histórias muito divertidas: É tão Bom Acampar! e Uma Bailarina Especial. Com as capas com glitter e ilustrações a duas cores, esta coleção é pensada para as meninas que estão a iniciar a leitura autónoma.