Nacionalmente Bom

Autores Portugueses

Estrelas Em Contos

Opiniões de Contos

eBooks

Leitura Digital

Crónicas de Uma Desastrada

Sou uma Desgraça de Metro e Meio

Autores do Brasil

Divulgação e Opinião

domingo, março 31, 2013

Opiniões em falta...

Estou possessa!!
Uma parte de mim grita.. oh não... mas a minha massinha cinzenta já diz, Oh sim... fizeste-a bonita....


Andava eu aqui, toda entretida a actualizar opiniões e bla bla bla, quando vejo que me falta, não uma, não duas... mas... onze (11) opiniões.... de 2012....


  1.  A Cruz de Morrigan
  2. Imortal
  3. Sangue de Anjo
  4. Feitiços
  5. Despertada
  6. Silencio
  7. Um baile de finalistas infernal
  8. O Baile dos Deuses
  9. O Regresso de Atlantida
  10. Na Sombra da Vingança
  11. O Reino de Nurver

Acho que ando um pouco sensível... Mas o mais estranho e que eu lembro me de ter feito as opiniões... mas elas não estão aqui..... logo. O que e que falhou? Escrevi mas não passei para o Blog? Ou apaguei sem querer? Pelo menos a 1, 3, 4, 8, 9 e 11 eu lembro me de as ter escrito, onde raio e que vocês foram parar? Desgraçadas!


E o pior!!! É que eu falhei com uma editora e ela não me caiu em cima (é melhor não dizer quem é).... será que a pessoa do outro lado ainda está à espera?...


bem, só vai com um ano de atraso, please, o que é isso? 



Estou a ir....



Mas primeiro... as opiniões que tenho aqui para sair...de contrariO, atraso ainda mais estas.
  1. Maximum Ride
  2. A Elfo das Terras Negras
  3. Destinada
E depois posso ir a essas de novo *.*







terça-feira, março 26, 2013

Opinião "O Inferno de Gabriel" de Sylvain Reynard


O Inferno de Gabriel
A Saga de Gabriel - Livro I
de Sylvain Reynard
Tão erótico e provocante como As Cinquenta Sombras de Grey. Mas bem escrito.
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 512
Editor: Saída de Emergência
ISBN: 9789896374853


Sinopse

O enigmático e sedutor professor Gabriel Emerson é um reputado especialista na obra de Dante. Mas à noite dedica-se a uma vida de prazer sem limites, não hesitando em usar a sua beleza de cortar a respiração para manipular as mulheres a satisfazerem cada capricho seu.
Talvez por isso se sinta torturado pelo passado e consumido pela crença de que está para lá de qualquer salvação.
Quando a jovem Julia Mitchell se inscreve como sua aluna de pós-graduação, Gabriel não consegue ficar indiferente. Ela é linda, deliciosamente inocente, um diamante em bruto para ele polir. Sempre que Julia se apercebe do olhar de predador dele, espera sentir receio, mas o que verdadeiramente sente é uma estranha luxúria que a assusta. Desejando desesperadamente possuí-la, Gabriel põe em perigo não só a sua carreira, como ameaça desenterrar segredos de um passado que preferia manter oculto.
Uma história inebriante sobre amor proibido, luxúria e redenção, O Inferno de Gabriel retrata a jornada de um homem que procura escapar do seu próprio inferno pessoal enquanto tenta conquistar o impossível: perdão e amor.

Opinião:

Devo dizer que fiquei chocada quando vi que comparavam "o Inferno de Gabriel" com "As 50 sombras de Gray". A serio? que compraram estes dois livros? Quem dera  As 50 Sombras de Gray chegar ao calcanhares do Inferno de Gabriel! Pois na minha pobre opinião, não tem NADA a ver! As 50 Sombras e tão sem sal, tão fraco e tão fora! Não tem historia, não tem nada! Querem um livro de fazer corar até a minha avó? A Flor do Desejo, esse sim... nossa senhora! Mas indo ao que interessa....

O Inferno de Gabriel tem minimamente uma historia, o passado "credível" que nos leva a um presente "aceitável", devo dizer que houve partes em que fiquei wow, a serio? Não te lembras? Alem de bêbedo, bebeste a memoria também? Desgraçado!

Julia é uma personagem frágil mas decidida, magoada mas sem rancor, com um segredo escondido (mas quem não os tem?)
Gabriel, bem...um mulherengo (please, para um livro que dizem erótico não deveria ter umas cenas calientes e comprovativas de que o homem e de facto mulherengo? Jasusss que desgraça, o erotismo ficou em casa a descansar), também ele com um segredo, é um personagem frio e filho da mãe arrogante!  Mas devo dizer que o Gabriel  por vezes consegue mostrar o seu lado "humano", mas numa passagem no livro (a forma descrita desta) conseguiu meter me lágrimas nos olhos. A Serio que ele lhe diz aquilo? Mas que filho da mãe nojento!  Mas não vamos matar o rapaz ainda, afinal de contas como ja mencionei Gabriel por vezes mostra a sua parte "humana" e deixa ver o seu lado mais "protector" em relação a Julia.

De uma leitura suave e apaixonante o autor consegue prender-nos à obra do inicio ao fim, envolvendo-nos no misterio e sedução.

Ansiosa para ler O Êxtase de Gabriel

Opinião "Perdidos"


FICHA TÉCNICA
TÍTULO: Perdidos
AUTORA: Rute Canhoto
EDIÇÃO: 1ª edição
IMPRESSÃO: Euedito
LOCAL DE IMPRESSÃO: Vila Nova de Gaia
DEPÓSITO LEGAL: 352363/12
ISBN: 978-989-20-3353-2



SINOPSE

Marina, de 17 anos, leva uma vida monótona e confortável, centrada no objetivo de ter boas notas para entrar na universidade.
Findas as férias de verão, tem início um novo ano letivo que se revela repleto de novidades, entre elas Lucas. A misteriosa figura do aluno desperta-lhe a atenção, apesar da aura obscura que o rodeia. Mais tarde, Joshua junta-se à turma e um turbilhão de sentimentos contraditórios assola Marina, deixando-a confusa e sem saber que caminho seguir. E se fizer a escolha errada?
Em simultâneo, o cosmos da rapariga fica completamente virado do avesso com uma série de inexplicáveis acidentes, que parecem querer colocar um ponto final na sua existência. Afinal, o que se estará a passar? A resposta será uma revelação inesperada, que dará a conhecer ao mundo os Perdidos.
Este é o primeiro volume da trilogia Perdidos, uma série na qual coração e razão entram em conflito. Nem sempre o que gostaríamos de ter é o melhor para nós. Mas e se o que nos dizem não ser bom para nós, é exatamente aquilo de que precisamos? Viver implica correr riscos, demasiado grandes às vezes.


Opinião:

Devo dizer que fiquei rendida a este maravilhoso livro. Ele é misterioso, apaixonante e vibrante! Acrescento para dizer que o que é nacional e bom e é bem verdade!!

No desenrolar desta historia, damos umas boas gargalhadas, como também ficamos de coração nas mãos. A Pobre Marina, não anda com muita sorte, pois parece estar sempre no local errado a hora errada. Mas apesar do azar...parece ter um bom "anjo da guarda", pois Marina salva-se sempre na hora H.

Marina é uma jovem como qualquer outra, ou quase... se não fosse a sua personalidade forte e decidida quanto ao futuro!
Ana, a melhor amiga de Marina, é uma personagem divertida e (quer queira Marina ou não) as duas juntas só dá galhofa.
Joshua. para mim é um personagem "assustador" isto porque há momentos em que achei ele desequilibrado, de espírito fraco e muito infantil (em determinadas atitudes desta).
Lucas, bem, é o Lucas (hehe) é uma personagem decidida e muito misteriosa. Simplesmente nos conquista.
Há uma parte eu que eu li, e reli e voltei a ler, poisei o livro no meu colo, revirei os olhos, agarrei no livro, li de novo e desmancho-me a rir a gargalhada e penso: " A Serio Marina? Pediste mesmo isso?" Eu só de imaginar a cena, chorei de rir. (queres saber do que estou a falar? Lê o livro :P )

Mas o que eu mais gostei, foi a autora trazer-nos algo novo. Pois por instantes pensei, anjos? Será que é uma sombra de outro livro? (uma vez que a autora mencionou um outro livro) Mas não, a Rute trás-nos... Demónios/ Inferno... nham nham

Ora bem...pontos negativos? Vejamos....

1º Fiquei meio confusa numas pequeníssimas partes (talvez por me ter perdido? Ver ponto 2).


  • Sendo ele um "Perdido" e o Mestre ter feito "uma lavagem cerebral" a ele, como é que ele na hora H a reconhece e acaba por não matar? O Que é que o "despertou"
  • De onde aparece a espada? E Porquê?
2º Formatação do texto, tamanho de letra.

  • Na minha opinião (e como já tinha falado com a Rute). Torna-se cansativa a leitura, uma vez que ao mudar de linha quando vamos a ver passamos duas abaixo ou uma acima, e tendo em conta o tamanho da letra (para mim) torna-se ainda mais difícil  pois a minha vista começou a desfocar (sim sou meio cegueta e tal, e quando esforço a vista, ela começa a desfocar e a chorar, parece que estou a descascar cebolas). Mas nada que uma boa formatação não resolva (aumento da letra e por ai fora).
3º Uma coisa que no meu ver acho que deve ser mencionado é... há alturas em que a autora usa termos em brasileiro. De inicio pensei, ok é brasileira, mas depois parei e pensei, nop ela escreve pt-pt e só usa uma palavra ou outra em pt-br, ate poderia passar-me ao lado, se não houvesse em pt.
ex: ... não conseguia enxergar.... "não conseguia ver...."
são pequenas coisinhas que devemos ter em atenção, mas que muitas vezes nos passa ao lado. Não estou a dizer isto para mal da autora, nada disso. Mas escrever em pt-pt e usar uma palavra ou outra em pt-br não e bom, principalmente para leitores mais picuinhas. Afinal de contas tanto o leitor como o autor, queremos ambos o mesmo. Perfeição 


Opinião "Rosa Selvagem"


Rosa Selvagem
de Patricia Cabot
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 368
Editor: Livros d'Hoje
ISBN: 9789722049108


Sinopse

Como nunca houvera uma mulher que não conseguisse encantar, Edward tinha a certeza de que iria conquistá-la. Mas Pegeen MacDougal não era nem velha, nem criança - era muita mulher, com uma língua aguçada, uns olhos verdes de levar ao inferno e uma sensualidade que o deixava doente. Infelizmente, ela desprezava-o, assim como à ostentação da sua classe social e à falta de consideração que mostravam pelos menos afortunados. Mas, pelo bem do seu sobrinho Jeremy, Pegeen concordou que ambos se mudariam para a propriedade de Edward. O risco tornou-se rapidamente aparente. Pois ela sabia que podia resistir ao dinheiro de Edward, ao seu poder, à sua posição... a todo o seu mundo. No entanto, era o seu beijo que prometia ser a sua destruição.

Opinião:

Paggen é uma jovem de 20 anos e que tem a seu cargo o sobrinho Jeremy. De ideias fixas, Peggen, consegue chocar o Lord Edward, como também cativa-lo. Mas acima de tudo consegue algo que nenhuma outra mulher conseguiu... dez anos mais nova, Peggen consegue meter o Lord Edward  no seu lugar.

De uma escrita Fluída com um toque de humor e um cherinho a sarcasmo, Patricia, consegue prender o leitor do inicio ao fim, fazendo-nos viver com paixão esta narrativa.



Top Bulhosa/Leitura: semana de 18 a 24 de março


FICÇÃO

1 A Filha do Papa
Luís Miguel Rocha
Porto

2 O Impiedoso País das Maravilhas e o Fim do Mundo
Haruki Murakami
Casa das Letras

3 A Filha do Conspirador
Philippa Gregory
Civilização

4 Férias em Saint Tropez
Elisabeth Adler
Quinta Essência

5 Um Homem de Partes
David Lodge
Asa

6 Engano
Philip Roth
Dom Quixote

7 Comboio Nocturno para Lisboa
Pascal Mercier
Dom Quixote

8 Cenas da Vida da Aldeia
Amos Oz
Dom Quixote

9 As Cinquenta Sombras de Grey
E. L. James
Lua de Papel

10 A Herdade
Jane Smiley
Civilização


NÃO-FICÇÃO

1 Nova Teoria da Felicidade
Miguel Real
Dom Quixote

2 As 10 Questões da Recuperação
João César das Neves
Dom Quixote

3 Império - Como a Grã-Bretanha Construiu o Mundo Moderno
Niall Ferguson
Civilização

4 Procura Dentro de Ti
Chade-Meng Tan
Lua de Papel

5 As 10 Questões da Crise
João César das Neves
Dom Quixote

6 Bréve História da Europa
John Hirst
Dom Quixote

7 A Volta ao Mundo em 80 Pratos
David Loftus
Civilização

8 Rescaldo e Mudança - As Culturas da Crise Económica
Castells / Caraça / Cardoso (Org.)
Esfera do Caos

9 As Grandes Batalhas da História de Portugal
Rui Natário
Marcador

10 A Europa Alemã de Maquiavel a «Merkievel»
Ulrich Beck
Edições 70


INFANTO-JUVENIL

1 As Aventuras do Menino Nicolau
Goscinny
Sempé
Teorema

2 Uma Aventura no Castelo dos três Tesouros
Ana Maria Magalhães
Isabel Alçada
Caminho

3 O Trio da Dama Negra - Sherlock, Lupin e Eu
Irene Adler
Civilização

4 Tsunami
Robert Muchamore
Porto Editora

5 O Principezinho
Antoine de Saint- Exupéry
Presença

6 Um Caldeirão para Silton
Geronimo Stilton
Presença

7 UKI - A Minha Primeira Biblioteca
Dom Quixote

8 Trinta por uma Linha
António Torrado
Civilização

9 Mate e o Carrinho da Páscoa
Dom Quixote

10 A Quinta do Diogo
Panini


Marcadores Lara Adrian

Boa Noite Amantes do Sobrenatural,

hoje tenho algo bem fofinho aqui para vocês *sorriso* querem saber o que é? Eu digo. Recentemente eu entrei em contacto com a Lara Adrian, autora da Saga The Midnight Breed.

E muito simpaticamente a Lara enviou-me uns marcadores para eu oferecer aos seguidores do Blog O Nosso Mundo Sobrenatural. O que é que vocês tem de fazer? Muiiiiiito simples. Enviar um email com:

Assunto: Lara Adrian

No texto: Nome e Morada... e eu como sou mazinha vou pedir algo mais. Uma questão que gostariam de colocar a Lara Adrian!? Aguardo aniosa pelo vosso email.

Nota: Só está disponível 20 Marcadores, será um marcador por email, logo despacha-te ;)






Lara Adrian:

O Beijo da Meia Noite

O Beijo Carmesim


O Despertar da Meia-Noite


Ascensão da Meia-Noite


O Véu da Meia Noite


Cinzas da Meia Noite

Opinião " A Maldição do Tigre"


A maldição do tigre
de Colleen Houck
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 352
Editor: Porto Editora
ISBN: 978-972-0-04371-9
Idioma: Português



Sinopse
Quando Kelsey Hayes se candidata a um trabalho no circo para ocupar as férias de verão até ao início das aulas na faculdade, está longe de imaginar a aventura em que se verá envolvida. Encarregada de cuidar de Ren, um majestoso tigre branco, sente-se de imediato fascinada pelo animal e não hesita em aceitar o convite para o acompanhar numa viagem até à Índia, rumo à reserva natural a que pertence.
O que Kelsey ainda não sabe é que o tigre a que tanto se afeiçoou é na verdade Alagan Dhiren Rajaram - um príncipe indiano vítima de uma maldição secular - e que ela poderá ser a única pessoa capaz de o ajudar a quebrar o feitiço.
Determinada a devolver a Ren a sua humanidade, Kelsey embarcará numa perigosa aventura por lugares repletos de magia e misticismo. No entanto, as forças do Mal não parecem dispostas a dar-lhes tréguas e os perigos espreitam a cada esquina. Será que a paixão que vai crescendo entre os dois resistirá a todos os obstáculos que lhes vão sendo colocados no caminho?

A Maldição do Tigre é o primeiro volume de uma extraordinária saga que promete apaixonar os fãs de literatura fantástica.


Opinião:

Quando vi este livro fiquei literalmente, como ficaria um tigre a ver a sua presa, a babar-me e já me imaginava com as "garras na xixa" da minha vitima, (tradução...ja me via com o livro nas mãos e a ler) CARAMBA!! Eu tinha de ter este livro, desse por onde desse!! Não li a sinopse, não fui procurar opiniões nada..por afinal de contas eu só tinha visto a capa algures no Facebook (abençoado sejas). Eu pura e simplesmente me apaixonei pela capa deste livro, e porque? bem...a capa tem um dos meus animais favoritos... não sabem? tenho uma paixão infinita por Tigres....branquinhos *.* parecem uns ursinhos de peluche *sorriso*  Ai que ternurinha...quero uma gatinho destes! Ops, estou a divagar, certo. Não e isso que queremos falar hehe

Este foi sem duvida um livro que li, e invejei (ai inveja que pecado mais horrível) a personagem principal, Kelsey, por poder estar perto e tratar de um tigre e poder tocar-lhe... *suspiro*

Mas vamos ao que interessa. "A Maldição do Tigre" foi uma das melhores leituras que fiz ate agora (este ano), fresco, misterioso e envolvente . Uma obra que arruma literalmente os vampiros e anjos caídos a um canto e que grita alto e bom som: "Amantes da Literatura Fantástica aqui estou eu para vos fazer suspirar e ansiar por mais, vou deixar-vos rendidas!" Afinal de contas ele tem:
Uma maldição, o Tigre todo giraço e que por sinal é indiano...sendo indiano...cultura indiana *suspiro*

Uma vez começado a leitura é de todo impossível interromper esta. A maneira descrita dos acontecimentos facilita o leitor a "entrar" nesta viagem e a desfruta-la sem se sentir aborrecido/cansado dela. E no fim pedir mais.

Colleen Houck alem de criar toda uma historia nova, ela ainda nos apresenta personagens de carácter determinado, nada de personagens fraquinhas e indecisas, puras florzinhas de estufa que dá vontade de dar umas chapadas para elas acordarem para a vida! A Autora presenteia nos também com uma boa dose de humor, romantismo como também de teimosia... ai bichinhos danados *riso*

Ansiosa por mais!!!

Desafio Arco Íris.... Sobrenatural....


Obrigada à Juanitah do Blog Leitura Não Ocupa Espaço , por este selinho fofo. Desafio aceite :)

As regras são muito simples:

1. Referir quem vos deu o selo – fui eu a mim própria ahahah.
2. Postar uma foto de uma pilha com as cores do arco-íris.
3. Passar o selo a 10 blogs super-hiper-mega coloridos!


Eu tentei, juro que sim.... não está as cores Vivas e lindas, mas está aqui as cores pelo menos *riso*

Azul: Lirael A Rapariga do Glaciar de Garth Nix

Vermelho: Trocada de Amanda Hocking

Laranja: O Perraultimato de Filipe Faria

Amarelo: A Cidade das Cinzas de Cassandra Clare

Verde: A Cruz de Morrigan de Nora Roberts

Indigo: Tempos de Vingança de Cayla Kluver

Violeta: Perdidos de Rute Canhoto

Os 10 Blogs escolhidos são:












segunda-feira, março 25, 2013

Civilização publica Malhas Portuguesas de Rosa Pomar


Autora foi percursora dos crafts em Portugal e este é o primeiro livro do género em várias décadas
Civilização publica Malhas Portuguesas de Rosa Pomar

Malhas Portuguesas de Rosa Pomar é uma obra pioneira na temática do têxtil artesanal em Portugal. Com
um forte cunho etnográfico, esta é uma abordagem inédita e surpreendente à história da malha
portuguesa, da Idade Média à atualidade. Com conteúdos criados de raiz, a autora apresenta aqui vinte
projetos de malha, inspirados por vários anos de trabalho de campo e em desenhos e peças tradicionais
de todo o continente e ilhas, mas atualizados e adaptados a um uso contemporâneo.
Malas, boinas, luvas, meias ou perneiras. Pioneiro nas ilustrações e nas explicações sobre pontos, técnicas,
tecidos e acessórios de costura, Malhas Portuguesas é uma obra pensada para quem faz malha "à
portuguesa" - com o fio ao ombro ou ao pescoço. Nos primeiros dois capítulos investiga a História das
malhas desde a Idade Média, expondo imagens de grande relevo cultural. Numa segunda parte, inspira-se na
riqueza das peças históricas e apresenta vinte modelos modernos – de almofadas a luvas ou xailes – com
explicações passo a passo da execução, complementadas com fotografias e ilustrações das técnicas
utilizadas.
Rosa Pomar aprendeu a fazer malha aos sete anos e nunca parou. Aos dez anos tricotou bonecos para toda a
família e continuou pela adolescência. Pós-graduada em História Medieval, frequentou os cursos de
ilustração do Ar.Co e da School of Visual Arts, em Nova Iorque. É autora de um dos mais antigos blogues
portugueses, aervilhacorderosa.com, onde aborda todos os aspetos dos têxteis tradicionais portugueses.
Percursora do movimento dos crafts em Portugal com os seus bonecos de pano, organizou os primeiros
encontros públicos de tricot. É uma estudiosa desta área, em especial dos lanifícios, percorrendo
frequentemente o país para efetuar recolhas junto de pastores, tecelões e fiandeiras. Tem produzido
diversos fios de lã a partir de matéria-prima exclusivamente portuguesa, lutando incansavelmente pela sua
valorização. Em 2008, abriu a própria loja no Chiado e dá, desde 2009, cursos de formação em técnicas de
tricot e costura.
Mais informações em http://retrosaria.rosapomar.com ou http://aervilhacorderosa.com.


Título: Malhas à Portuguesa
Autor: Rosa Pomar
Ilustradora: Rita Cordeiro
Formato: 200 x 254 mm
Páginas: 160 pp.
Encadernação: Capa mole
Subfamília: Casa, decoração e bricolagem
EAN: 9789722634335
ISBN: 978-972-26-3433-5
PVP: 21,99 €
Lançamento: Março de 2013

Civilização publica A Filha do Conspirador de Phillippa Gregory


Autora de A Rainha Vermelha e A Senhora dos Rios regressa com novo bestseller internacional
Civilização publica A Filha do Conspirador de Phillippa Gregory

“Perdi o meu pai numa batalha, a minha irmã às mãos de uma espia de Isabel Woodville, o meu cunhado
às mãos do seu carrasco e o meu sobrinho às mãos de um seu envenenador, e agora o meu filho foi vítima
da sua maldição…” A Filha do Conspirador é o quarto título da série “A Guerra dos Primos” e explora as
extraordinárias vidas de Ana e Isabel, as duas filhas de Ricardo Neville, Conde de Warwick, o mais
importante magnata inglês do século XV e um “fazedor de reis”.
A Filha do Conspirador chega a Portugal com ótima críticas por parte da crítica internacional. “Uma história
fantástica, contada com a confiança e a energia a que Philippa Gregory já nos habituou”, escreve o Sunday
Times. Segundo acrescenta o Daily Express, “Gregory cria heroínas atraentes e determinadas […] enérgicas,
convincentes, vívidas e cativantes”. “Philippa Gregory dá continuidade à série “A Guerra dos Primos” num
estilo impressionante”, conclui a Star.
Phillippa Gregory é a mais conhecida autora de romances históricos da atualidade, sendo, em grande
medida, responsável pela reabilitação de uma das mais duradouras dinastias britânicas, a dos Tudor.
Segundo a Time, “temos de agradecer a Philippa Gregory, escritora britânica de romances históricos, por
muitas das razões da atual popularidade dos Tudor”. “Ficção histórica no seu melhor, com uma pesquisa
rigorosa e contada de forma soberba”, garante o Times. Talvez por isso, cada novo livro da autora de A
Rainha Vermelha, A Rainha Branca e A Senhora dos Rios transforma-se automaticamente em bestseller.
O livro de Phillippa Gregory que deu origem a um filme com o mesmo nome, Duas Irmãs, Um Rei, sobre a
relação entre as irmãs Bolena e Henrique VIII, interpretado por Natalie Portman, Scarlett Johanson e Eric
Bana, ajudou a popularizar ainda mais a autora em Portugal.
Philippa Gregory nasceu no Quénia em 1954, mas mudou-se com a família para Bristol, Reino Unido, quando
tinha dois anos. Frequentou a Universidade de Sussex, onde um curso de Iniciação à História viria a mudar a
sua vida. Até hoje já publicou vinte e cinco livros, muitos dos quais bestsellers. Doutorada em Literatura do
Século XVII pela Universidade de Edimburgo, os seus romances refletem uma pesquisa e um pormenor
histórico meticulosos. O seu período favorito da história é a época Tudor, sobre a qual já escreveu vários
romances, alguns dos quais foram adaptados pela BBC a dramas históricos.
Mais informações em http://www.philippagregory.com/



Título: A Filha do Conspirador
Autora: Philippa Gregory
Título original: The Kingmaker’s Daughter
Tradução: Miguel Romeira
Formato: 155 x 235 mm
Páginas: 496 pp.
Encadernação: Capa mole
Subfamília: Romance Histórico
EAN: 9789722635196
ISBN: 978-972-26-3519-6
PVP: 17,90 €
Lançamento: Março de 2013


SINOPSE
“Perdi o meu pai numa batalha, a minha irmã às mãos de uma espia de Isabel Woodville, o meu cunhado às mãos do
seu carrasco e o meu sobrinho às mãos de um seu envenenador, e agora o meu filho foi vítima da sua maldição…”
A apaixonante e trágica história de Ana Neville e da sua irmã Isabel, filhas do Conde de Warwick, o nobre mais
poderoso da Inglaterra durante a Guerra dos Primos. Na falta de um filho e herdeiro, Warwick usa cruelmente as duas
jovens como peões, mas elas desempenham os seus papéis de forma previdente e poderosa.
No cenário da corte de Eduardo IV e da sua bela rainha Isabel Woodville, Ana é uma criança encantadora que cresce no
seio da família de Ricardo, Duque de Iorque, transformando-se numa jovem cada vez mais corajosa e desesperada
quando é atacada pelos inimigos do seu pai, quando o cerco em seu redor se aperta e quando não tem ninguém a
quem possa recorrer, a quem possa confiar a sua vida.





Civilização publica 'A Volta ao Mundo em 80 Pratos' de David Loftus


Um dos mais conceituados fotógrafos da gastronomia, apresenta receitas dos melhores chefs do mundo
Civilização publica A Volta ao Mundo em 80 Pratos
de David Loftus

A Volta ao Mundo em 80 Pratos de David Loftus, um dos mais conceituados fotógrafos da gastronomia
mundial, apresenta receitas de fazer crescer água na boca da autoria de chefs internacionais e autores de
livros de culinária, de Jamie Oliver a Nigella Lawson, Gennaro Contaldo, Heston Blumenthal ou Atul
Kochhar. Seguindo os passos de Phileas Fogg na sua volta ao mundo, passa pela Europa, o Médio Oriente,
a Ásia e a América e reúne um verdadeiro tesouro de sabores dos quatro cantos do mundo.
“A Volta ao Mundo em 80 Pratos é como o Top of the Pops da comida excitante – as melhores garfadas num
livro extraordinário”, escreve Jamie Oliver no prefácio do delicioso livro de David Loftus, uma excelente
compilação de receitas inspiradoras, com fotografias de grande beleza, ideal para amantes de viagens e de
comida que lhes permite escolher o seu destino e saboreá-lo.
David Loftus anda 350 dias por ano na estrada a fotografar chefes de cozinha e pratos deliciosos pelos
quatro cantos do Mundo. Em A Volta ao Mundo em 80 Pratos, partilha o melhor que foi encontrando ao
longo das suas viagens. No trilho da personagem criada por Júlio Verne, Loftus mostra os tesouros da
cozinha que foi encontrando nas suas inúmeras viagens. O mundo em 80 pratos. David Loftus já recebeu
inúmeros prémios e, recentemente, foi considerado o 65.º fotógrafo mais influente do mundo.
Mais informações em: http://www.davidloftus.com


Título: A Volta ao Mundo em 80 Pratos
Autor: David Loftus
Título original: Around the World in 80 Dishes
Tradução: Manuela Junqueira
Formato: 250 x 298 mm
Páginas: 288 pp.
Encadernação: Capa dura
Subfamília: Culinária e Gastronomia
EAN: 9789722635813
ISBN: 978-972-26-3581-3
PVP: 23,50 €
Lançamento: Março de 2013

Civilização publica O Fulano do F de Luísa Ducla Soares


Os seus livros – muitos dos quais no PNL – têm acompanhado diversas gerações de novos leitores
Civilização publica O Fulano do F de Luísa Ducla Soares

Fernando Freitas Fonseca era um rapaz com a mania dos Fs. Morava em Faro. Só jogava futebol. Só
cantava o fado. Só tocava flauta… Será que o Fernando consegue levar a sua mania até ao fim? O Fulano
do F, o novo livro de Luísa Ducla Soares, com ilustrações de Raquel Pinheiro, é mais uma divertida história
escrita por uma das maiores referências da literatura infanto-juvenil portuguesa.
Com mais de cem livros editados, Luísa Ducla Soares já ganhou vários prémios e é frequentemente
convidada para entrevistas na TV, leituras em escolas, palestras, congressos e debates. Em 1973, foi-lhe
atribuído o Grande Prémio de Literatura Infantil Maria Amália Vaz de Carvalho, pelo livro A História da
Papoila (prémio que recusou por razões políticas), em 1984-1985 recebeu o Prémio Calouste Gulbenkian
para o Melhor Livro de Literatura Infantil e em 1996 ganhou o Grande Prémio Calouste Gulbenkian pelo
conjunto da sua obra.
Em 2004, Luísa Ducla Soares foi nomeada para o Prémio Hans Christian Andersen da IBBY (International
Board on Books for Young People), considerado o Prémio Nobel da Literatura para a Infância. Os livros de
Luísa Ducla Soares têm acompanhado gerações sucessivas de crianças, o que tem levado a constantes
reimpressões da sua obra. Mais de trinta livros da autora, editados pela Civilização, fazem parte do PNL


Título: O Fulano do F
Autora: Luísa Ducla Soares
Ilustração: Raquel Pinheiro
Formato: 210 x 210 mm
Páginas: 24 pp.
Encadernação: Capa dura
Subfamília: Dos 6 aos 10 – Literatura
EAN: 9789722636049
ISBN: 978-972-26-3604-9
PVP: 11,50 €
Lançamento: Março de 2013

OUTROS TÍTULOS DA AUTORA PUBLICADOS PELA CIVILIZAÇÃO

Civilização publica bestseller Império de Niall Ferguson


Autor foi considerado pela Time Magazine uma das 100 pessoas mais influentes do mundo
Civilização publica bestseller Império de Niall Ferguson

Império, o grande bestseller de Niall Ferguson, conta a notável história da ascensão ao poder do Império
Britânico – e da sua queda. Em tempos, vastas áreas do mapa-múndi estavam pintadas de vermelhoimperial, e a Britânia exercia o seu poder não só nos mares, mas também nas pradarias americanas, nas
planícies asiáticas, nas selvas africanas e nos desertos árabes. Mas como é que uma pequena e chuvosa
ilha do Atlântico Norte conseguiu tudo isto? E porque é que o império onde o Sol nunca se punha chegou
por fim ao seu declínio e queda?
Escrito por Niall Ferguson, considerado pela Time Magazine como uma das 100 pessoas mais influentes do
mundo, e um dos livros de referência do autor, Império: Como a Grã-Bretanha Construiu o Mundo Moderno
é um clássico da não-ficção histórica, focado no apogeu vitoriano e na queda do Império Britânico, e chega a
Portugal com ótimas críticas por parte da imprensa internacional.
“O melhor historiador britânico da sua geração […] Ferguson examina o papel dos “piratas, plantadores,
missionários, mandarins, banqueiros e falidos” na criação do maior império da história […] escreve com uma
segurança magnífica […] e uma inteligência espirituosa aparentemente natural”, escreve Andrew Roberts.
“Espantoso […] uma leitura magnífica, assegura a New York Review of Books. “É um prazer ler Império. Está
repleto de conhecimento e informação”, conclui o Sunday Times.
Niall Ferguson nasceu em 1964 em Glasgow, na Escócia. É um historiador do imperialismo moderno muito
conhecido, tendo já uma vasta obra publicada. É professor na Universidade de Harvard, na Hoover
Institution da Universidade de Stanford e investigador do Jesus College na Universidade de Oxford.
Atualmente é o historiador mais conhecido dos Estados Unidos e um reputado comentador de televisão e
rádio sobre assuntos de política e economia contemporâneos.
Niall Ferguson é campeão académico de História Virtual: gosta de imaginar desfechos alternativos para a
história. Para ele não há caminhos na história que determinam o que vai acontecer, o mundo não é
progressivo nem regressivo, são as ações individuais que determinam se vivemos num mundo melhor ou
pior. Outra das suas áreas de interesse é a história judaica.
Mais informações sobre o autor em http://www.niallferguson.com


Título: Império: Como a Grã-Bretanha Construiu o Mundo Moderno
Autor: Niall Ferguson
Título original: Empire: How Britain Made the Modern World
Tradução: Miguel Mata
Páginas: 504 + 16 pp.
Encadernação: Capa mole
Subfamília: Europa e Mundial
EAN: 9789722633642
ISBN: 978-972-26-3364-2
PVP: 18,90 €
Lançamento: Março de 2013



SINOPSE
Império, o bestseller de Niall Ferguson, conta a notável história da ascensão ao poder do Império Britânico – e da sua
queda. Em tempos, vastas áreas do mapa-múndi estavam pintadas de vermelho-imperial, e a Britânia exercia o seu
poder não só nos mares, mas também nas pradarias americanas, nas planícies asiáticas, nas selvas africanas e nos
desertos árabes. Mas como é que uma pequena e chuvosa ilha do Atlântico Norte conseguiu tudo isto? E porque é que
o império onde o Sol nunca se punha chegou por fim ao seu declínio e queda?
Império, o aclamado livro de Niall Ferguson, desvenda de forma brilhante a história imperial com todo o seu esplendor
e miséria, mostrando como um grupo de bucaneiros e exploradores gananciosos abriram o caminho para o maior
império de toda a história e colocaram o mundo na senda da modernidade.


OUTROS TÍTULOS DO AUTOR PUBLICADOS PELA CIVILIZAÇÃO:






quinta-feira, março 21, 2013

Top Bulhosa/Leitura: semana de 11 a 17 de março


FICÇÃO

1 A Filha do Papa
Luís Miguel Rocha
Porto

2 O Impiedoso País das Maravilhas e o Fim do Mundo
Haruki Murakami
Casa das Letras

3 Férias em Saint Tropez
Elisabeth Adler
Quinta Essência

4 A Filha do Conspirador
Philippa Gregory
Civilização

5 As Cinquenta Sombras de Grey
E. L. James
Lua de Papel

6 Engano
Philip Roth
Dom Quixote

7 Uma Casa de Família
Natasha Solomons
Asa

8 A Provação do Inocente
Agatha Christie
Asa

9 As Enganadas
Jô Soares
Presença

10 Um Homem de Partes
David Lodge
Asa


NÃO-FICÇÃO

1 As 10 Questões da Recuperação
João César das Neves
Dom Quixote

2 Procura Dentro de Ti
Chade-Meng Tan
Lua de Papel

3 Império - Como a Grã-Bretanha Construiu o Mundo Moderno
Niall Ferguson
Civilização

4 Da Horta para a Mesa
Cláudia S.Villax
Casa das Letras

5 Cozinha sem Limites
Gordon Ramsay
Porto Editora

6 Morte Assisitida
Lucília Galha
Oficina do Livro

7 Comunicar com Sucesso
Dale Carnegie
Prime Books

8 Rescaldo e Mudança - As Culturas da Crise Económica
Castells / Caraça / Cardoso (Org.)
Esfera do Caos

9 Jesus de Nazaré - A Infância de Jesus
Joseph Ratzinger
Principia

10 As 10 Questões da Crise
João César das Neves
Dom Quixote


INFANTO-JUVENIL

1 O Trio da Dama Negra - Sherlock, Lupin e Eu
Irene Adler
Civilização

2 O Macaco de Rabo Cortado e outras Histórias
António Torrado
Civilização

3 Tsunami
Robert Muchamore
Porto Editora

4 Expressões com História
Alice Vieira
Ricardo Cabral
Texto

5 Isto É Paris
M. Sasek
Civilização

6 Isto É Londres
M. Sasek
Civilização

7 Ovos para Todos!
Asa

8 O Principezinho
Antoine de Saint- Exupéry
Presença

9 Trinta por uma Linha
António Torrado
Civilização

10 O Quarto Ano no Colégio das Quatro Torres
Enid Blyton
Oficina do Livro


LANÇAMENTOS: MARÇO 2013


1. FICÇÃO/NÃO FICÇÃO

A Filha do Conspirador – Philippa Gregory

SINOPSE: “Perdi o meu pai numa batalha, a minha irmã às mãos de uma espia de Isabel Woodville, o meu cunhado às
mãos do seu carrasco e o meu sobrinho às mãos de um seu envenenador, e agora o meu filho foi vítima da sua
maldição…” A apaixonante e trágica história de Ana Neville e da sua irmã Isabel, filhas do Conde de Warwick, o nobre
mais poderoso da Inglaterra durante a Guerra dos Primos. Na falta de um filho e herdeiro, Warwick usa cruelmente as
duas jovens como peões, mas elas desempenham os seus papéis de forma previdente e poderosa. No cenário da corte
de Eduardo IV e da sua bela rainha Isabel Woodville, Ana é uma criança encantadora que cresce no seio da família de
Ricardo, Duque de Iorque, transformando-se numa jovem cada vez mais corajosa e desesperada quando é atacada pelos
inimigos do seu pai, quando o cerco em seu redor se aperta e quando não tem ninguém a quem possa recorrer, a quem
possa confiar a sua vida.
PÁGINAS: 496 | TRADUÇÃO: Miguel Romeira | CAPA MOLE | PVP: 17,90 €

Império: Como a Grã-Bretanha Construiu o Mundo Moderno –Niall Ferguson

SINOPSE: Império, o bestseller de Niall Ferguson, conta a notável história da ascensão ao poder do Império Britânico – e da
sua queda. Em tempos, vastas áreas do mapa-múndi estavam pintadas de vermelho-imperial, e a Britânia exercia o seu
poder não só nos mares, mas também nas pradarias americanas, nas planícies asiáticas, nas selvas africanas e nos
desertos árabes. Mas como é que uma pequena e chuvosa ilha do Atlântico Norte conseguiu tudo isto? E porque é que o
império onde o Sol nunca se punha chegou por fim ao seu declínio e queda? Império, o aclamado livro de Niall Ferguson,
desvenda de forma brilhante a história imperial com todo o seu esplendor e miséria, mostrando como um grupo de
bucaneiros e exploradores gananciosos abriram o caminho para o maior império de toda a história e colocaram o mundo
na senda da modernidade.
PÁGINAS: 504 + 16 pp. | TRADUÇÃO: Miguel Mata | CAPA MOLE | PVP: 18,90 €


2. LIVRO ILUSTRADO – INFANTO-JUVENIL


Uma Semana na Quinta – Bénédicte Carboneill e Angélique Pelletier

SINOPSE: O galo Alberto anuncia a chegada de um novo dia na Quinta da Belavista. É segunda-feira e adivinha-se uma bela
semana… As aventuras dos habitantes da Quinta da Belavista contadas numa história para cada dia da semana.
PÁGINAS: 116 | CAPA DURA | PVP: 11,50 €






O Fulano do F – Luísa Ducla Soares

SINOPSE: Fernando Freitas Fonseca era um rapaz com a mania dos Fs. Morava em Faro. Só jogava futebol. Só cantava o
fado. Só tocava flauta… Será que o Fernando consegue levar a sua mania até ao fim? Descobre o final feliz desta
divertida história de Luísa Ducla Soares!
PÁGINAS: 24 | ILUSTRADOR: Raquel Pinheiro | CAPA DURA | PVP: 11,50 €



3. LIVRO ILUSTRADO – ADULTOS


Malhas Portuguesas – Rosa Pomar [OS MODELOS TRADICIONAIS ADAPTADOS AO USO CONTEMPORÂNEO]

SINOPSE: Malhas à portuguesa é uma obra pioneira na temática do têxtil artesanal em Portugal. Rosa Pomar preserva,
recupera e divulga o património português das malhas em duas vertentes. Nos primeiros dois capítulos investiga a
História das malhas desde a Idade Média, expondo imagens de grande relevo cultural. Na segunda parte, inspira-se na
riqueza das peças históricas e apresenta vinte modelos modernos – de almofadas a luvas ou xailes – com explicações
passo a passo da execução, complementadas com fotografias e ilustrações detalhadas das técnicas utilizadas.
PÁGINAS: 160 | CAPA MOLE | PVP: 21,99 €


A Volta ao Mundo em 80 pratos – David Loftus

SINOPSE: “A Volta ao Mundo em 80 Pratos é como o Top of the Pops da comida excitante – as melhores garfadas num livro
extraordinário.” Jamie Oliver. A Volta ao Mundo em 80 Pratos tem receitas de fazer crescer água na boca da autoria de
chefs internacionais e autores de livros de culinária, incluindo Jamie Oliver, Nigella Lawson, Gennaro Contaldo, Heston
Blumenthal e Atul Kochhar. Seguindo os passos de Phileas Fogg, passa pela Europa, o Médio Oriente, a Ásia e a América
e reúne um verdadeiro tesouro de sabores dos quatro cantos do mundo. Esta excelente compilação, com fotografias de
grande beleza, é ideal para amantes de viagens e de comida, permitindo-lhe escolher o seu destino e saboreá-lo.
PÁGINAS: 288 | CAPA MOLE | PVP: 23,50 €

Apresentações do Guerreiro Psíquico



~


24 de Abril irei estar presente (isto se não acontecer nada até lá claro) E vocês? Não podem perder :)

Guerreiro Psíquico no Facebook 
Guerreiro Psíquico no Site

Opinião "À Luz da Meia Noite"


À Luz da Meia Noite
Saga Predadores da Noite 13
de Sherrilyn Kenyon
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 176
Editor: Edições Chá das Cinco
ISBN: 9789897100437



Sinopse
Uma celebridade generosa que tudo oferecia e nada pedia em troca… até ser enganado pelos que o rodeavam. Agora Aidan nada quer do mundo ou sequer fazer parte dele.

Quando uma estranha mulher aparece à sua porta, Aidan sabe que já a viu antes… nos seus sonhos.

Uma deusa nascida no Olimpo, Leta nada sabe do mundo dos humanos. Mas um inimigo implacável expulsou-a do mundo dos sonhos e para os braços do único homem capaz de a ajudar: Aidan. Os poderes imortais da deusa derivam de emoções humanas, e a raiva de Aidan é todo o combustível que precisa para se defender…

Uma fria noite de inverno irá mudar as suas vidas para sempre…

Aprisionados durante uma tempestade de inverno brutal, Aidan e Leta terão que conquistar a única coisa que os poderá salvar a ambos - ou destruí-los - a confiança. Conseguirão triunfar sobre todos os obstáculos?

Opinião:

Devo dizer, que este livro da autora S.K, surpreendeu-me....pela negativa!
A onde está o mistério? A Paixão? A guerra? Neste livro, À Luz da Meia Noite, a acção é tãooo rapida que no fim ficamos, woww mas o que é que se passou? Fiquei praticamente na mesma, ok, "conheci" a Leta e o Aidan e mais uma ou duas personagens...mas... continuo no escuro!Resumindo, nao sei quem são, o que gostam, odeiam, Hoo claro sei que Aidan foi "magoado", "traído" pelo irmão... que queria o que ele não tinha,...e bla bla bla.

O romance da Aidan e Leta e tão rápido, que tipo... quase não há sensualidade ali, (a serio eu quando li pensei "Isto e como ir a uma discoteca e dar uma rapidinha ali no canto e tipo estou apaixonada por ele *.* " )

Acho sinceramente que esta é uma obra que a autora poderia ter posto para ultima, e quando tivesse mais inspirada começava a escreve-la. À Luz da Meia Noite, poderia ter uma historia bem interessante se estivesse mais desenvolvida, e que  os acontecimentos estivessem no seus devidos tempos.

Em relação a tradução do livro...bem. Só tenho a dizer. Saída de Emergência  quem raio e que traduz isto? Ou andam a dormir? Eu sei que com o novo acordo ortográfico algumas coisa mudaram não é? Mas eu acho que não mudaram assim tanto, como em vez de ser pt-pt seja pt-br qb... eu traduzo...

Há palavras que nos primeiros livros vocês traduziram para Portugueses, e que agora usam em brasileiro... Como os nomes!! Virgem santissima!!! Antes era Artemis...agora é Artemisa? eu ate pensei que fosse outra filha..... depois um nome que apareceu "Estige"...ok...lá andei eu a puxar pela minha cabeça para saber quem era este...ate que cheguei a conclusão que só poderia ser Styxx, o irmão gémeo de Acheron. E que no fundo fazia mais sentido no que estava a ler.

Sinceramente são estas pequenas coisas que entristecem o leitor, e que pode levar a desmotiva-lo a leitura. Pois sejamos sinceros, queremos ler na nossa língua, se de inicio vocês tivessem usados esses termos. seria compreensível  bem começou assim que acabem... agora não. Mais uma vez peço que tenham em atenção essas pequenas coisas.

Sherrilyn Kenyon é uma das minhas autoras preferidas, e é com muita pequena que faço esta opinião. Mas infelizmente a S.K deveria ter deixado este livro para o fim...ou então se esta com falta de ideias...tire umas ferias... Espero de coração que o próximo livro não seja assim, de contrario eu vou morrer de desgosto!

1º.Concurso Literário AlenCriativos




No âmbito do 1º Concurso AlenCriativos com o tema Audaz Fantasia – Poesia que recebeu os trabalhos a concurso durante dois meses e tendo encerrado as receções a 28 de Fevereiro, vimos divulgar os nomeados pelo júri nas categorias Poetas em Geral e Comunidade Escolar (alunos do 3º ciclo e secundário).


Num universo de mais de 400 trabalhos a concurso, foram consideradas 369 participações para a categoria dos Poetas em Geral e 20 para a Comunidade Escolar.


Os nomeados da categoria Poetas em Geral , por ordem aleatória:


Poema nº102 - "Faz de Conta" - Fátima Soares – Corroios


Poema nº111 -  "Sou…" - Rita Farias – Carregado - Alenquer


Poema nº113 - “Audaz Fantasia”- Irene da Piedade Henriques Alves Prata – Lisboa


Poema nº122 - "Foi assim que nasceu a poesia."- Maria Montenegro – Porto


Poema nº124 - "Audaz Fantasia" - Carlos Fernando dos Santos Marques - Barcarena


Poema nº169  - “Ego” - Fátima Vivas – Forte da Casa


Poema nº199 - "Estendal"- Andreia Nunes da Costa Canário- Fortios, Portalegre


Poema nº229 - “Esqueci que é pecado “- Nanda Rocha – Torres Vedras


Poema nº283 - "Mãos gretadas, sentimento puro" - Elisabete Lucas – Mafra


Poema nº318 - “Confesso”- Marta Amaral – Cascais


Os nomeados da Categoria Comunidade Escolar, também por ordem aleatória:


Poema nº002 - "Eclipse a trote" - Pedro Guilherme Flausino Mafra Vaz
Escola Secundária de Ponte de Sôr - 12ºano - Ponte de Sôr

Poema nº003 - "Alheio"- Beatriz Rodrigues Chagas –
Escola Secundária da Rainha D. Leonor - 10º.ano Lisboa

Poema nº005 - "Fantasia" - Joana Filipa da Cruz Silva –
Escola Secundária Damião de Goes - 11º.ano – Alenquer

Poema nº008 - “Audaz Fantasia” - Afonso Duarte Silva Pereira Antunes Raimundo.
Escola Secundária José Gomes Ferreira, 11º ano – Lisboa

Poema nº010 - "Poeta, despontador duma fantasiosa intempérie " - Guilherme Monteiro - Escola Secundária da Quinta das Flores -11º.ano - Coimbra


Poema nº011 -  "Audaz Fantasia" - Jéssica dos Santos Barbosa –
Escola dos Mestres - 12º.Ano- Alvalade – Lisboa

Poema nº012 - (sem titulo) - Telma Renata Cândida Pesqueira Ideia
Escola dos Mestres - 12º.Ano - Montijo

Poema nº014 - "Audaz Fantasia" – Madalena Bento Rosado
Escola Secundária Damião de Goes - 10º.Ano - Alenquer

Poema nº019 - "Despreocupadamente" - Ricardo José Santiago Rodrigues
Estabelecimento de ensino: Escola Secundária de Castro Verde - 11º.ano – Castro Verde

Poema nº020 - "Retiro Fantástico"- Ricardo José Santiago Rodrigues –
Estabelecimento de ensino: Escola Secundária de Castro Verde - 11º.ano – Castro Verde

A entrega de prémios e a revelação da classificação dos concorrentes vai ser feita num evento onde também se fará a comemoração do Dia Mundial da Poesia.


Dia 24 de Março de 2013, pelas 15:30 horas, no Museu João Mário - Travessa S. Benedito, n.º 7 - Alenquer, com o acompanhamento musical pela Associação Musical de Cabanas de Torres e as declamações dos poemas a cargo dos atores Vanda Rodrigues e Ruy de Carvalho.

domingo, março 17, 2013

Trevas da Paixão - Rafael #3


   Não sei a quanto tempo estou a correr, só sei que não posso voltar atrás, não posso parar, porque se o fizer eles apanham-me. E eu não quero, bem o meu corpo quer, mas eu não. Não sou esse tipo de mulher, não sou Diana. Para mim é de todo impossível, uma mulher com dois homens ou duas mulheres com dois homens, no mesmo quarto! É incorrecto  escandaloso, vergonhoso! Pelo menos é o que grita a minha mente, se bem que o meu corpo diz exactamente o contrário, que decerto é bom, prazer a dobrar, uma viagem as estrelas com direito a uma dança infinita. Como pode ser que uma só pessoa, em uma determinada situação, se sinta dividida em duas com opiniões diferentes?
   Sou arrancada dos meus devaneios quando vejo a minha sombra no meio de luzes e logo de seguida um barulho, um alarme? Não, céus! Sirenes!  Quando o jipe se mete a meu lado eu paro de correr. A agente que vai de pendura olha para mim e a sua expressão seria mostra um brilho de divertimento.
   -Boa Noite! Pode-nos acompanhar? – inquire uma voz masculina e só então reparo que outro agente da autoridade, já se encontra a meu lado, com um casaco nas mãos, o casaco dele.
   Aceno com a cabeça e ele mete este sobre os meus ombros, abre a porta do jipe e ajuda-me a entrar, fechando a porta de seguida.
   Levo com o bafo quente da sofagem o que me faz recordar de novo que estou nua, bem não propriamente, mas estar de lingerie ou nua e quase igual, e completamente encharcada e sinto-me corar e muito envergonhada.
   -Por momento pensei que fosse surda ou sonâmbula. – comenta a agente – é que já estamos atrás de sim a uns quinze minutos. E quanto mais aproximava-mo-nos mais você corria.
Apesar de ter dito num tom calmo, uma pontada de gozo fez-se notar.
   -Foi atacada? – questiona o guarda, observando me pelo espelho retrovisor, abano a cabeça em sinal de negação. Por fim quando chegamos ao posto da G.N.R, sou conduzida para uma sala, os restantes guardas que se encontram de serviço olham para mim com os olhos a saltar das orbitas. Afinal de contas não deve ser todos os dias que aparecem uma mulher nua a meia da noite não é?
   -Sente-se aqui. Quer um café, chocolate quente ou chá?
   -Chocolate quente se poder ser. –digo meio rouca, amanha a gripe vai ser em grande, penso para comigo.
   -Então? Arrastaram essa de uma boate? – pergunto um homem do lado de fora da sala
   -Não! Encontra-mo-la na rua. – informa a guarda que ficou do lado de fora da sala.
   - Estou a ver, violência domestica? – insiste outro homem
   -Não me parece, não está ferida, aparentemente. – informa o guarda que foi buscar o meu chocolate quente, pelo menos a voz parecia a dele.
   -Para que tanta pergunta? Veio de alguma festa, álcool e drogas, faz-lhe o teste e verás. – diz um homem num tom rude e dou graças a deus por não ter sido apanhada por ele.
   -Não preciso que me digas como fazer o meu trabalho! – rosna o guarda, enquanto entra na sala com um copo de plástico na mão e fecha a porta com o pé.
   -Aqui tem. – põe o copo a minha frente e puxa uma cadeira para se sentar. Ajeita umas folhas e tira a tampa de uma caneta. – Bem, sabe que terei de fazer uma questões certo?
   Aceno com a cabeça e ele volta a olhar para os papeis.
   -O Seu nome?
   -Eloisa Santeira.
   -Idade?
   -25anos
   -Sabe-me dizer o que aconteceu? – fico calada, como é que devo explicar o que aconteceu? Vais achar-me maluquinha. – Eloisa, sabe que andar em lingerie na via publica é crime, não sabe? é o mesmo que andar nua. – olho para ele e aceno de novo – Disse-me que não foi atacada, foi posta na rua pelo seu namorado?  – volto a negar. Ele suspira e encosta-se a cadeira, cruzando os braços enquanto me observa. – Olhe, vou dar uns minutos para você pensar no que aconteceu, pois pode estar em choque e não se recordar bem, daqui a pouco volto para continuarmos está bem? – aceno com a cabeça e vejo que ele se levanta e dirige-se a porta, para e olha para trás – Eloisa, aconteça o que acontecer, ninguém lhe vai fazer mal. Acredite em mim. – dito isto ele sai porta fora.
   Em choque? Era dizer pouco, estava era traumatizada para o resto da vida! Como é que Diana me fez uma coisa destas?
   -Tem aqui um cobertor e uma toalha para se secar. – informa o guarda e eu dou um salto na cadeira. – Calma, desculpe, não pretendia assusta-la – dito isto sai porta fora a deitar fumo pelas ventas literalmente. Sou o tema de conversa no posto, mesmo com a porta encostada dava para ouvir. Mas ignoro tudo e dou por mim a pensar em tudo o que se passou e como vou sair desta, porque não voltei para casa? Talvez por não teres chaves? Ok, talvez para o hotel? Seria lindo chegares lá nua, excelente para seres despedida! Fico irritada comigo mesma e com a minha consciência que insiste em gozar comigo! Mais valia ter ficado deitada ou fugido para o quarto e trancar a porta!
   -Idiota!
   -Desculpe? – diz uma voz meiga, o que me levantar a cabeça e olhar para o recém chegado – Sou amigo do Felix, o agente que a trouxe para aqui, estava de passagem e ele comentou comigo o que aconteceu. – sinto-me a ferver de vergonha. – Acredito que o Idiota não seria eu, pois não? – questiona e sorri – É que se for, também não será a primeira vez que me chamam isso, mas por norma nunca é os meus clientes. Sou advogado – informa – Rafael e a menina é Eloisa, correcto? – questiona e eu aceno – Independentemente do que aconteceu, tal como o Felix disse, andar na via publica de roupa interior é crime, atentado ao pudor, logo vai precisar de um advogado. E eu posso ajuda-la. Conte-me o que aconteceu, está bem?
   -Não posso ir a casa? Tomar… - as palavras morrem na minha boca pois lembro me de que não tenho chaves.
   -Que se passa?
   -De momento não me sinto bem, não consigo lidar com isto hoje. – e começo a chorar desalmadamente. Dois braços fortes rodeiam os meus ombros num abraço apertado.
   -Shh.. calma. Está tudo bem. Espere um pouco.
   Ele solta-me e sai da sala, pouco depois regressa.
   -Venha. – Levanto-me da cadeira ainda com o casaco vestido e a manta cai no chão.
   -Onde vamos?
   -Comer alguma coisa, tomar um banho quente e descansar. – sorri o que o faz parecer um menino traquinas e que por sinal me deixa mais calma.

***

sexta-feira, março 15, 2013

Top Bulhosa/Leitura: semana de 4 a 10 de março



FICÇÃO

1 Engano
Philip Roth
Dom Quixote

2 As Cinquenta Sombras de Grey
E. L. James
Lua de Papel

3 Em Parte Incerta
Gillian Flynn
Bertrand

4 As Cinquenta Mais Negras
E. L. James
Lua de Papel

5 Uma Casa de Família
Natasha Solomons
Asa

6 Um Homem de Partes
David Lodge
Asa

7 As Cinquenta Sombras Livre
E. L. James
Lua de Papel

8 A Filha do Conspirador
Philippa Gregory
Civilização

9 O Ano Sabático
João Tordo
Dom Quixote

10 A Ponte dos Assassinos
Arturo Pérez-Reverte
Asa


NÃO-FICÇÃO

1 As 10 Questões da Recuperação
João César das Neves
Dom Quixote

2 Da Horta para a Mesa
Cláudia S.Villax
Casa das Letras

3 Procura Dentro de Ti
Chade-Meng Tan
Lua de Papel

4 Bréve História da Europa
John Hirst
Dom Quixote

5 Mortalidade
Christopher Hitchens
Dom Quixote

6 Se Isto É um Homem
Primo Levi
Teorema

7 Cozinha sem Limites
Gordon Ramsay
Porto Editora

8 Escândalos da Monarquia Portuguesa
Ricardo Raimundo
A Esfera dos Livros

9 Lisboa, Anos 60
Joana Stichini Vilela
Nick Mrozowski
Dom Quixote

10 Citações de Salazar
Paulo Neves da Silva (Org.)
Casa das Letras


INFANTO-JUVENIL

1 O Trio da Dama Negra - Sherlock, Lupin e Eu
Irene Adler
Civilização

2 O Principezinho
Antoine de Saint- Exupéry
Presença

3 Mulherzinhas
Louisa May Alcott
Oficina do Livro

4 Mundo das Raparigas - Riscos e Rabiscos
Civilização
5 1 2 3 - Riscos e Rabiscos
Civilização

6 Crime na Torre Eiffel
Sir Steve Stevenson
Planeta Manuscrito

7 O Estranho Caso da Torre Palhaça
Geronimo Stilton
Presença

8 República Popular
Robert Muchamore
Porto Editora

9 O Colégio das Quatro Torres
Enid Blyton
Oficina do Livro

10 Tsunami
Robert Muchamore
Porto Editora


quarta-feira, março 13, 2013

Sinto-te em mim - Nádia Santos


Sinto-te em mim

A noite está a chegar
mais uma noite a sonhar.
Não sei o que fazer
Não sei que dizer.
Chamo por ti a noite inteira...
Mas não me ouves,
procuro uma maneira
E peço a lua cheia
Que leve o meu beijo
Que te mostre o meu desejo
Sinto-te em mim
E fico perdida
Chamo por ti...
Não aceito a despedida!

Nadia Santos

Eu vou Amar-te Até Ao Fim da Minha Eternidade - Andy Girl

Boa Noite,

Hoje deixo-vos com uma historia bem especial, enviada pela nossa querida Amiga e Colaboradora Andy Girl.




O som do sino a tocar as doze badaladas da meia-noite ressoava pelo ar, numa nota solitária e arrepiante para os aventureiros que se atreviam a andar nas ruas por aquela hora. A meia-noite poderia não ser uma hora realmente tardia, todavia naquela região tudo se convertia num perigo para os mais incautos, para os mais vulneráveis…
Ele sabia disso, não por experiência, mas porque ele era uma das razões para tornar a região num assombro. Uma criatura das trevas, cuja noite se tornou o seu dia e as sombras a sua casa. Um ser dominado pelo instinto de sangue e pela necessidade de satisfazer a sua avidez pelo líquido escarlate que corria nas veias, a palpitar tão apelativamente enquanto o sentia a chamar por si.
Será que tudo nele se resumia a isso?
Não, não era verdade!
Ele dominou-se a ele mesmo para conquistar a sua humanidade de novo, para ser quem sempre fora… Mesmo que muita coisa tivesse mudado, jamais voltaria a seguir os instintos da criatura em que se tornou.
- Tens a certeza de que é isto que queres fazer? – Indagou o rapaz loiro, que seguia atrás de si, numa nota que ostentava toda a sua preocupação pelo amigo. – Isto pode-se tornar perigoso…
- Jonathan, eu meti-a nisto, eu vou assumir as consequências dos meus atos. – Interrompeu sem o deixar continuar. – Nunca fui um cobarde e não vai ser agora que o vou ser.
- Não se trata de cobardia, Arthur, tu sabes que ela pode acabar contigo. – Jonathan tentava-o chamar à razão, relembra-lhe o quanto perigoso a sua aventura poderia ser, mesmo sendo eles vampiros. – Ela é recém-nascida, sabes como eles são temperamentais nestas alturas.
- Será que não entendes? – Perguntou acima do tom e fixou furtivamente o olhar azulado que o observava. – Não a vou deixar sozinha, mesmo que disso dependa a minha vida! - Bufou frustrado e deixou a cabeça descair, enquanto fechava o punho com força. – Ela foi mais do que tudo o que pude pedir, vou lutar até ao fim para a trazer de volta. – O silêncio imperou entre os dois, não conseguiam continuar com aquela discussão. – Se não voltar duas horas antes de amanhecer, não me procures lá dentro, vai ter com os outros e sigam caminho.
Arthur mirava o basto jardim em mau estado que se estendia para lá do grande portão negro, enferrujado com o tempo, onde se vislumbrava as ervas daninhas a crescer livremente e as árvores de ramos tombados só com o peço de tantas folhas.
- Tudo bem. – Jonathan assentiu.
Embora aquilo não passasse de uma mentira, sabia que negar o pedido do outro apenas serviria para alongar a conversa e não para o demover das suas intenções. Além disso, se Arthur soubesse as suas reais intenções, somente o obrigaria a prometer que faria o que ele tinha pedido. Jonathan não abandonaria o seu amigo de maneira nenhuma!
Arthur abriu o portão que lhe permitiria chegar até à casa abandonada e num estado de degradação extremo. O metal rugiu severamente, quase parecia que o portão tinha intenções de se desprender do muro e cair desamparado sobre o chão terroso.
Passo a passo, o seu coração, único órgão realmente vivo no seu corpo, acelerava mais e mais dentro do peito. Aquela ansiedade de não saber o que iria encontrar destruía-o, ainda mais por se sentir culpado por toda aquela terrível situação em que se achava.
O que podia ele dizer em sua defesa?
Arthur meramente caíra na tentação de amar uma rapariga que não pertencia ao seu mundo de tenebrosidade. Seria isso um delito imperdoável? Não, o que virara imperdoável foi o ato de a transformar naquilo que ele era! Um ser angelical como ela, na sua felicidade translúcida e simples com o pouco que tinha, uma rapariga que sorria e iluminava toda e qualquer escuridão que pudesse existir no coração mais negro… Um ser daqueles não poderia ser uma criatura das trevas. Ainda assim, ele desejou-a tanto e para toda a sua eternidade.
Como é que ele podia ser tão egoísta?
A porta de casa estava aberta, ou melhor, dependurada no que restava das frinchas, pelo que não precisou de grandes esforços para entrar na habitação sombria. O piar das corujas distraía o ouvido menos apurado, contudo o cheiro dela permanecia ali a vaguear e a inundar cada pedaço de ar. Arrepiava-se ao sentir que o doce aroma havia sido ampliado pela transformação e não se tinha modificado como seria de esperar…
- Patrícia. – Chamou em plenos pulmões, aguardando que ela ao escutá-lo se acercasse do sítio onde se deparava. – Onde estás…? – A interrogação saiu mais num murmúrio abatido.
O puro silêncio foi tudo o que ouvi.
Nada e ninguém se manifestou para dar sinal de vida humana ou qualquer que fosse o tipo de vida que ambos agora partilhavam. Subiu as escadas que chiavam a cada pé que nelas pousavam, terminando no andar de cima, procurando quarto a quarto, até achar uma silhueta feminina deitada no chão de madeira gasta.
- Patrícia. – Repetiu o nome novamente, enquanto caminhava para ela.
Os braços musculados enlaçaram-se na figura delgada, depositando-a e aparando-a sobre as pernas. A rapariga excessivamente pálida parecia dormir um longo e leve sono, pelo menos era o que Arthur tentava imaginar em vez de senti-la como um cadáver tranquilo dentro do caixão. No entanto, ele sabia que ela estava acordada, o ouvia e sentia cada um dos seus gestos.
- Arthur. – A sua voz melodiosa arrastava-se num sussurro apagado. – Porquê… Porquê que me fizeste isto? – Indagou num tom de pranto, à medida que lágrimas vermelhas tingiam a beleza do seu rosto perfeito.
Arthur desejava possuir uma razão plausível, um verdadeiro motivo para o seu ato, algo mais do que um egoísmo cometido por amor… Todavia, não existia nada mais para além daquele amor incondicional por ela.
Fechou os olhos.
Imagens do seu sorriso vivo a ser o Sol dele toldavam-lhe a mente, assim como o gosto doce dos beijos apaixonados lhe enchia a boca e o toque suave e sedoso dos seus dedos lhe corria a pele dura e fria.
Porque é que tudo aquilo não tinha sido o suficiente para a felicidade dele?
Novamente, abriu as pálpebras e lá estava ela, vazia de tudo aquilo que já tinha sido. Nunca chegara a tornar-se no perigo que Jonathan tinha medo de o ver enfrentar, porque nem sequer perdera tempo em tentar alimentar-se, tal qual os outros fariam neste novo começo.
Ela era tão diferente de tudo o que ele havia conhecido antes!
Agora, agora a Primavera que ela fora torna-se num Inverno gelado, sem mesmo ter passado pelo auge do Verão e o carinho do Outono.
- Porque te amo. – Disse ao final de minutos incontáveis, engolindo as próprias lágrimas de angústia. – Porque tudo o que alguma vez desejei, desde que te conheci, foi única e meramente passar toda a eternidade a admirar o teu sorriso angelical, a sentir o sabor dos teus lábios, a tocar na tua pele suave e a ver os teus olhos castanhos brilharem tão distintamente quando o brilho da lua incide sobre eles. – Todas e cada uma das palavras eram arrancadas do sítio mais profundo da sua alma, um sítio onde apenas ela tinha ousado chegar. – Tudo porque a minha existência não tem um significado sem ti a meu lado.
Nos momentos seguintes, escutava somente o barulho do vento a agitar as folhas das árvores. Patrícia permaneceu imóvel nos seus braços até decidir abrir os olhos e revelar uns vistos escarlates.
- Lamento, Arthur, lamento que… - A sua voz falhou enquanto falava, inspirando para arranjar meio de continuar. - De tudo o que esperavas de mim, apenas tenha conservado este amor incondicional por ti.
O luar incidiu sobre a face apagada dela e, por breves instantes, julgou ver reaparecer aquele tom cor de mel nos olhos magnéticos dela. O rapaz não se importava que a aparência da amada se tivesse transformado, pois nos confins da sua essência, ela continuava o mesmo ser angelical que dançava livremente numa manhã solarenga de Primavera.
Tudo o que Arthur amava achava-se na alma dela e não no físico.
- Por favor, Patrícia, fica comigo. – Uma lágrima vermelha clandestina soltou-se dos canais lacrimais e juntou-se às dela, que não paravam de correr, como se de um rio se tratasse. – Não me deixes voltar a ser o ser vazio que sempre fui sem ti.
- Nunca te deixarei. – Um pequeno sorriso desenhou-se nos lábios femininos, à medida que ela ergueu a mão e a guiou até junto do peito dele. – Onde quer que me possas procurar, saberás que sempre me acharás aqui. – A rapariga pousou a delicada mão sobre o lado esquerdo do seu peito. - Dentro do teu coração.
O que é que ele podia fazer para a demover daquela decisão tão afincadamente tomada? Patrícia escolhera morrer, nada mais havia a fazer, se não aguardar pela sua hora… A hora em que parte do seu coração se ia desfazer com ela.
- Amo-te. – Aquele era a única palavra que realmente continha algo significado especial naquela altura.
- Eu vou amar-te até a minha eternidade acabar. – Respondeu a rapariga ao seu sentimento de necessidade de saber que, mesmo depois de todos os seus atos, ela o perdoaria.
Arthur não resistiu e conduziu os seus lábios aos dela, acariciando-os com ternura, desejo e paixão, um misto de sentimentos inexplicáveis a turbilhonar na sua alma. Os dois beijaram-se como nunca antes o haviam feito, porque o amanhã não existia, restava apenas minutos ou talvez segundos de uma vida sem sentido.
Por fim, o último suspiro de Patrícia atingiu-lhe a face e, num grito de dor, a sua alma quebrou-se, deixando uma ranhura profunda que jamais alguém curaria. As gotas de sangue brotavam-lhe dos olhos numa linha interminável, enquanto o corpo esguio dela se desfazia em cinzas nas suas mãos frias. Tudo se perderia no esquecimento, o seu cheiro, o toque da sua pele, o brilho do seu olhar, a perfeição do seu sorriso… Tudo perdido nas cinzas incandescentes que a consumiam até ao mais ínfimo pedaço.
O rapaz chorou até não existir mais sangue possível para expulsar pelos olhos, até a dor não ser mais que uma sensação de fundo que permaneceria constante, até sentir a paz que Patrícia sempre lhe transmitia a envolvê-lo.

***

Jonathan viu o seu amigo aproximar-se com um rosto onde os sentimentos eram imperfectíveis. Não ousou indagar sobre o sucedido no interior da habitação, de alguma forma antevia os acontecimentos através das cinzas que cruzaram o ar noturno e se perderam na imensidão da noite estrelada.
- E agora? – Perguntou numa nota minimamente natura.
- Agora vamos dormir, amanhã é dia de partir novamente. – Respondeu o vampiro.
Arthur seguiu na frente, num passo tranquilo, sabendo que a morte os poderia separar, mas o amor os manteria para sempre juntos até ao fim da eternidade.


Fim